Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail

CPR-MG

Seminário discute saúde e segurança no trabalho

Postado em: 15/09/2016

Cerca de 430 pessoas participaram do II Seminário Gestão de Obras com foco em Saúde e Segurança no Trabalho, realizado no Expominas, no dia 8 de setembro. Nesta segunda edição foram realizadas sete palestras que visaram apresentar procedimentos e experiências no intuito de prevenir acidentes em obras, além de serem expostos conceitos e procedimentos ligados à gestão na Segurança do Trabalho.

No período da manhã foi explicado como funciona o modelo tripartite para a elaboração das Normas de Segurança e Saúde do Trabalho. O diretor do Senge-MG e coordenador do Comitê Permanente Regional (CPR-MG) da NR-18 João José Magalhães Soares, como representante da bancada dos trabalhadores no Comitê, destacou a importância da participação dos profissionais nas discussões sobre as Normas Regulamentadoras e o quanto elas ficam melhores se os trabalhadores envolvidos diretamente com a Norma em revisão ou a ser elaborada participarem da consulta pública desta NR. A Engenheira de Segurança Andreia Kaucher, e o Engenheiro de Segurança e Auditor Fiscal do Ministério do Trabalho Marcos Ribeiro Botelho, representando a bancada do empregador e do Governo no CPR-MG, respectivamente, explanaram sobre a contribuição de cada setor na construção e funcionamento desse modelo tripartite.

 


 O Auditor Fiscal do Ministério do Trabalho Marcos Ribeiro Botelho, a Engenheira de Segurança Andreia Kaucher e
diretor do Senge-MG João José Magalhães Soares

 

Segundo o Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho, Marcelo Gários, a prevenção de acidentes deve ser baseada no comportamento humano. Para ele, o primeiro passo é identificar dentro da empresa os tipos de pessoas em relação ao conhecimento e capacidade de cumprimento das regras de segurança (quem não pode, quem não quer e quem não sabe), para então gerenciar o comportamento delas.
Os erros que precedem um acidente, de acordo com Gários, podem estar na falha na execução de uma manobra, na falha da percepção ou na tomada de decisões. Como diferentes culturas convivem dentro de uma empresa, nem todos enxergam o risco da mesma forma. “Se eu não falar que é um risco e mostrar qual é, as pessoas não vão saber”. Para ele, com vigília e antecipação é possível prevenir os riscos. 

Para o Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho, Saúde e Meio Ambiente da Construtora Barbosa Mello, Geraldo Tanure, é fundamental a presença de uma liderança para se fazer cumprir as regras de segurança dentro de uma obra. Esta liderança deve ter um bom reconhecimento de seus funcionários. “Para cuidar das pessoas é preciso conhecê-las e criar relação de parceria com a segurança”. Além disso, essa liderança deve sempre ser um exemplo em relação ao cumprimento dos procedimentos estabelecidos para todos.

Tanure apresentou os procedimentos utilizados na construtora para que se tenha uma maior produtividade, se reduza ao máximo os riscos de acidentes e crie evidências dentro da empresa do cumprimento das regras de segurança. Os procedimentos passam por avaliações mensais de desempenho, premiações dos funcionários, entre outros.

 


Cerca de 430 pessoas participaram do II Seminário

 

No período da tarde, as palestras ministradas pela Engenheira de Segurança do Trabalho e Supervisora do Departamento de Engenharia de Segurança do Trabalho do Seconci-MG Andreia Kaucher e pelo Engenheiro de Segurança do Trabalho da Direcional Engenharia Floriano Peixoto trouxeram o assunto da Gestão de Obras  em Edificações com exemplos práticos. Engenheiros da Gasmig falaram sobre instalação predial de gás natural e a segurança durante a execução desses procedimentos.

O Médico do Trabalho do Sesi Nacional, Gustavo Nicolai, abordou o assunto “Segurança e Saúde do Trabalho, custo ou investimento?”utilizando a Plataforma FAP, seguido do Engenheiro Eletricista e diretor da Mútua Augusto Pirassinunga e do Coordenador Adjunto da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho do Crea-MG, José Raimundo Barnabé, que falaram da Engenharia de Segurança dentro do Sistema Confea/Crea /Mútua/Senge.

O II Seminário Gestão de Obras com foco em Saúde e Segurança no Trabalho promovido pela AMES e CPR-MG, foi um evento integrante do Minascon 2016. São realizadores do evento o Senge-MG, o Sicepot-MG, o Sinduscon-MG, o Seconci-MG, o Ministério do Trabalho e Previdência Social, o Siticop-MG, o Stic-BH, Sebrae e Sistema SESI/FIEMG, com o apoio da Mútua e do Crea-MG. 

Lançamento de livros

Após o Seminário, o Senge-MG e a AMES promoveram o lançamento de dois livros “Acidentes de Trabalho: antecedentes e suas interligações” e “A contribuição das análises de acidentes de trabalho no processo de gestão de SST”, ambos da Engenheira de Segurança do Trabalho, Adriana Maria Silva Alves. 

 


A Engenheira de Segurança do Trabalho, Adriana Maria Silva Alves, lançou seus dois livros após o Seminário

 

Enviado por: Carol Diamante

 

Leia também: Seminário vai desmistificar gestão de obras
 

Cadastre-se e receba o Senge Online, a newsletter semanal do Senge-MG.

* Nome:
* E-mail:
* Empresa:
Telefone:
Código:

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS

|Selecione o ano:
T: 9

ACORDOS E CONVENÇÕES

SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Rua Araguari, 658 • Barro Preto • BH / MG
CEP: 30190-110
(31) 3271 7355 • (31) 3546 5150
sengemg@sengemg.com.br

Negociações Coletivas:
(31) 3271-7355 | E-mail: nc@sengemg.com.br
Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail
2019, SENGE MG - SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS