Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail

Lei das Empresas Juniores

Diretor do Senge-MG participa do lançamento da Lei das Empresas Juniores no Senado

Postado em: 24/06/2016

 

O diretor do Senge-MG, engenheiro ambiental Alírio Ferreira Mendes Junior, participou na segunda-feira, 20 de junho, do lançamento da Lei das Empresas Juniores, realizado pelo Senado Federal.  De autoria do senador José Agripino (DEM-RN), a Lei 13.267, sancionada em 6 de abril de 2016, disciplina o funcionamento das Empresas Juniores (EJs) nas universidades. Também estiveram no evento o coordenador nacional do Crea-Junior, Maycon Juan e o presidente da Associação Nacional de Engenharia Ambiental (ANEAM), Marcus Vinícius Souza.

A solenidade foi presidida pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF), compondo a mesa o presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae),Vinicius Lages, além dos reitores das federais de Brasília, Ivan Camargo; e do Rio Grande do Norte, Pedro Fernandes Ribeiro Neto; e do vice-reitor da Federal da Bahia, Paulo Cesar Miguez de Oliveira. Pelo Movimento Brasil Junior participou, entre outros, o presidente da Confederação Brasileira de Empresas Juniores, Pedro Rio.

“As Empresas Juniores são associações civis, sem fins lucrativos, constituídas exclusivamente por alunos das mais diversas áreas da graduação de instituições de ensino superior, com o intuito de estimular o espírito empreendedor. Elas promovem o desenvolvimento técnico, acadêmico, pessoal e profissional dos estudantes, uma vez que esses alunos elaboram projetos para empresas, entidades e para a sociedade em geral, sob a supervisão de professores e profissionais especializados”, explica o material de divulgação da Lei.

De acordo com a Lei 13.267, “as EJs serão beneficiadas com a cessão, na própria universidade, de espaço físico gratuito para seu funcionamento, garantindo assim uma gestão autônoma por parte dos estudantes. A legislação determina, ainda, que cada empresa deverá ter orientação e supervisão de um professor especializado ligado à instituição de ensino e determina que as atividades das Empresas Juniores sejam inseridas no conteúdo acadêmico das universidades, preferencialmente como atividades de extensão”, explica o senador.

O Brasil é o primeiro país do mundo a ter uma Lei que disciplina o funcionamento das empresas juniores.

Veja, aqui, a íntegra da Lei 13.267

*Com informações do Senado Federal. 

 


Da direita para esquerda, o presidente da ANEAM, Marcus Vinícius Souza, o diretor do Senge-MG, Alírio Ferreira Mendes Junior,
o senador Cristovam Buarque e o coordenador nacional do Crea Junior, Maycon Juan. 

 


Alírio Ferreira Mendes Junior, diretor do Senge-MG, esteve no lançamento
da Lei das Empresas Juniores, realizado dia 20/6, no Senado

Enviado por: Luiza Nunes 

Cadastre-se e receba o Senge Online, a newsletter semanal do Senge-MG.

* Nome:
* E-mail:
* Empresa:
Telefone:
Código:

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS

|Selecione o ano:
T: 9

ACORDOS E CONVENÇÕES

SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Rua Araguari, 658 • Barro Preto • BH / MG
CEP: 30190-110
(31) 3271 7355 • (31) 3546 5150
sengemg@sengemg.com.br

Negociações Coletivas:
(31) 3271-7355 | E-mail: nc@sengemg.com.br
Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail
2019, SENGE MG - SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS