Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail

Fisenge

Federação se manifesta a favor dos engenheiros brasileiros

Postado em: 05/11/2013

Assim como o Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG), a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) também manifestou seu apoio aos engenheiros e engenheiras do Brasil, após o ataque feito pelo ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, aos profissionais da categoria. Em entrevista ao site Uol, veiculada no dia 2 de novembro, o ministro desqualificou os profissionais e a qualidade do trabalho prestado pelo setor de Engenharia no Brasil. A Fisenge não apenas lançou uma nota de apoio, como também enviou carta aberta à presidente Dilma Rousseff manifestando seu repúdio à declaração do ministro. Além disso, a Federação cobrou de Moreira Franco o reconhecimento público de seu equívoco e também protestou contra o posicionamento do Confea, que foi conivente com a manifestação do Ministro.

Abaixo, a nota oficial da Fisenge:

A Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) repudia veementemente as declarações à imprensa do Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, neste sábado (2/11), sobre o atraso das obras dos aeroportos no país. Na reportagem, Moreira Franco afirma que os engenheiros brasileiros “são ruins e elaboram projetos mal feitos". Ressaltamos que o atraso das obras em nada se relaciona à engenharia brasileira. As principais razões são a aceitação de projetos básicos para a licitação, a própria licitação com base na lei nº 8.666 e o "cipoal" da burocracia que envolve todo esse processo, além e principalmente da incúria aliada à incompetência de seus dirigentes do Ministério.

Em uma tentativa de retratação, o Ministro Moreira Franco divulgou uma nota neste domingo (3/11), que afirma "Tenho certeza que rapidamente teremos empresas de projetos e execução de obras com a mesma qualidade que tivemos no passado". Há que se registrar o fato de que a engenharia nacional e os engenheiros brasileiros nada devem em termos de tecnologia e conhecimento em relação a profissionais de outros países. Por outro lado, desconhecer as verdadeiras razões que culminaram com o atraso das obras e se voltar contra uma categoria que tem contribuído de forma efetiva para o desenvolvimento nacional é um grande equívoco e absurdo. Ainda salientamos a importância da engenharia ser tipificada como carreira do Estado, para o fortalecimento de sua função social, conforme o projeto de lei nº13/2013.

Também não podemos permitir a postura omissa e conivente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), diante dos impropérios manifestados pelo Ministro Moreira Franco. Criticamos a postura do Confea ao evitar "polemizar" e não se posicionar contundentemente em defesa da engenharia nacional, conforme destacado na imprensa. É dever e atribuição da entidade zelar pela engenharia brasileira e não aceitamos que manifestações como as do Ministro fiquem sem resposta do nosso Confea e de todos os Creas de nosso país.

Tais declarações, certamente, sinalizam uma tentativa de desqualificação de uma categoria fundamental para o desenvolvimento do país e nós, da Fisenge, estamos atentos e comprometidos com a defesa da engenharia brasileira e da soberania nacional.


Carta à presidenta Dilma Rousseff sobre as declarações do Ministro Moreira Franco

A Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) repudia veementemente as declarações do Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, quando ele responsabilizou os engenheiros brasileiros pelo atraso nas obras de seis dos 12 aeroportos brasileiros em capitais que receberão a Copa do Mundo no ano que vem. Moreira Franco afirmou que os engenheiros brasileiros “são ruins e elaboram projetos mal feitos”. Há que se registrar o fato de que a engenharia nacional e os engenheiros brasileiros nada devem em termos de tecnologia e conhecimento em relação a profissionais de outros países. Por outro lado, desconhecer as verdadeiras razões que culminaram com o atraso das obras e se voltar contra uma categoria que tem contribuído de forma efetiva para o desenvolvimento nacional é um grande equívoco e absurdo. Salientamos a importância de valorização da engenharia, que deve ser considerada carreira típica do Estado, para o fortalecimento de sua função social. Por fim, Presidente, gostaríamos de reconhecer o grande trabalho desenvolvido por V. Ex.ª e respectiva equipe por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC); do Minha Casa, Minha Vida; das obras de saneamento e infraestrutura que, certamente, contribuem e contribuirão para a melhoria de vida do povo brasileiro.

Carta ao ministro-chefe da secretaria de aviação civil, Moreira Franco

Vossa Excelência Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco

A Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) tomou conhecimento pela imprensa de suas infelizes declarações referentes ao atraso das obras dos aeroportos, responsabilizando a engenharia brasileira e ainda atribuindo, inclusive, a expressão pejorativa à categoria de "engenheiros ruins". Sr. Ministro, as principais razões do atraso das obras são a aceitação de projetos básicos para a licitação, a própria licitação com base na lei nº 8.666 e o "cipoal" da burocracia que envolve todo esse processo, além e principalmente da incúria aliada à incompetência de seus dirigentes. Não basta uma tentativa de retratação, como a feita no dia 3/11. A Fisenge gostaria que vossa excelência reconhecesse publicamente o equívoco de suas declarações e a importância da engenharia brasileira para o desenvolvimento do país.

Carta ao presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), José Tadeu

Sr. Presidente José Tadeu,

Foi com muita decepção que tomamos conhecimento das afirmações do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), por meio de sua assessoria de imprensa, relativas às infelizes declarações do Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, responsabilizando os engenheiros brasileiros pelo atraso nas obras dos aeroportos brasileiros. O Confea que é o nosso Conselho Federal - e que representa os engenheiros brasileiros - foi omisso e conivente com os impropérios manifestados pelo Ministro Moreira Franco.

Sr. Presidente, a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) e a categoria dos engenheiros brasileiros exigem um posicionamento contundente do nosso Conselho em defesa dos engenheiros e da engenharia nacional. Não aceitamos que manifestações como as do Ministro Moreira Franco fiquem sem resposta do nosso Confea e de todos os Creas de nosso país.


Enviado por: Luiza Nunes


Notícias Relacionadas:

Cadastre-se e receba o Senge Online, a newsletter semanal do Senge-MG.

* Nome:
* E-mail:
* Empresa:
Telefone:
Código:

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS

|Selecione o ano:
T: 9

ACORDOS E CONVENÇÕES

SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Rua Araguari, 658 • Barro Preto • BH / MG
CEP: 30190-110
(31) 3271 7355 • (31) 3546 5150
sengemg@sengemg.com.br

Negociações Coletivas:
(31) 3271-7355 | E-mail: nc@sengemg.com.br
Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail
2019, SENGE MG - SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS