Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail

Cartilha Mercado de Trabalho

Postos de trabalho formais na Engenharia crescem apenas 1,5% entre 2013 e 2014

Postado em: 02/02/2016

Número representa menos da metade do crescimento registrado entre 2012 e 2013

O mercado de trabalho formal da Engenharia no Brasil conseguiu registrar crescimento de 1,5% entre 2013 e 2014. No entanto, o aumento no número de postos de trabalho não chegou nem à metade do que foi registrado entre 2012 e 2013, de 3,5%. Este é um dos principais resultados apresentados na cartilha Mercado de Trabalho Formal da Engenharia no Estado de Minas Gerais 2013-2014, lançada na quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016. “A análise comparativa entre os anos de 2013 e 2014 indicam ampliação de 1,5% dos vínculos formais de trabalho no ramo da Engenharia, variação menor em relação aos 3,5% observados em 2012 e 2013. Apesar de apresentar variação positiva de 1,5% entre os anos de 2013 e 2014, no âmbito geral, o exame de cada uma das 17 especialidades aponta que, pelo menos 53% dessas apresentaram variação negativa (ou seja, 9 das 17 especialidades), destacando-se a Engenharia Eletroeletrônica com retração de 4,5% em 2014, com fechamento de 1.635 postos de trabalho”, informa a cartilha.

Em Minas Gerais, a geração de postos de trabalho também diminuiu. Em 2012, foram contabilizados 27.548 empregos formais nas áreas de Engenharia. Em 2013 foram criados 333 novos postos de trabalho e em 2014 esse aumento foi de 303 novos contratos, totalizando 28.184 empregos formalizados. “Especificamente no estado de Minas Gerais, o setor de Engenharia Civil e afins manteve-se no topo das contratações, conservando-se praticamente estável entre os anos de 2013 e 2014, com diminuição de 0,03%, passando de 33,35% para 33,32%”, diz o estudo.

Remuneração

Com relação à remuneração, os engenheiros mineiros continuam recebendo menos do que a média nacional. Em dezembro de 2014, a remuneração média nacional era de R$10.064,4, enquanto que a média salarial dos engenheiros de Minas Gerais era de R$8.322,88, valor 17,3% menor do que a média brasileira.

Em Minas Gerais, a especialidade com maior remuneração é a Engenharia de Minas, que possuía, em 2014, 1.650 ocupações de vínculos formais de trabalho, com salário médio de R$10.849,94. No Brasil, na mesma especialidade, a remuneração média atingiu, no ano em referência, o valor de R$ 11.928,33, que representa mais de 9% do valor pago no Estado. Neste aspecto, as remunerações dos Engenheiros em Minas Gerais, em todas as especialidades, são inferiores à média nacional.

Veja, a cartilha completa aqui!

Enviado por: Luiza Nunes

Cadastre-se e receba o Senge Online, a newsletter semanal do Senge-MG.

* Nome:
* E-mail:
* Empresa:
Telefone:
Código:

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS

Selecione o ano:

ACORDOS E CONVENÇÕES

SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Rua Araguari, 658 • Barro Preto • BH / MG
CEP: 30190-110
(31) 3271 7355 • (31) 3546 5151

Negociações Coletivas:
(31) 3271-7355 | E-mail: nc@sengemg.com.br
Página Inicial Facebook Twitter Instagram YouTube WebMail
2018, SENGE MG - SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS